sábado, 3 de abril de 2010

Fear Itself: Antologia do Medo (1-2)

Recentemente, minha irmã apareceu aqui em casa com os DVDs da série Fear Itself: Antologia do Medo. Novidades desse tipo sempre me empolgam e, como ando sem tempo, uma antologia me pareceu uma boa idéia para não ficar tão alheia ao cinema de horror, pois os episódios possuem metade do tempo de um longa-metragem, além de temas bem variados. Confesso que ainda não assisti Mestres do Horror (já pedi que um amigo providenciasse as duas temporadas para mim, a fim de correr logo atrás do prejuízo), mas, claro, sei das boas referências da série, e fiquei ainda mais animada quando vi Fear Itself foi feita praticamente pelo mesmo pessoal (produtores, diretores, roteiristas). Conforme for assistindo, pretendo deixar aqui algumas impressões. Sem mais delongas, vamos aos primeiros episódios:

O Sacrifício
O primeiro deles, dirigido por Breck Eisner, é inspirado num conto de Del Howison, escritor de histórias de horror que fez algumas incursões pelo cinema como ator. Trabalhou especialmente nos filmes “terróticos” (terror erótico) de Donald F. Glut, interpretando Renfield, o ajudante do Conde Drácula.

O Sacrifício é a história de um grupo de foras-da-lei (alguém, além de mim, ainda usa esse termo?) que tenta escapar de um policial, mas, com um homem ferido e o carro quebrado, acabam procurando ajuda em uma espécie de forte isolado no meio da neve. Lá vivem três jovens e belas irmãs que parecem ter parado no tempo, e que logo se revelam uma ameaça ao grupo de criminosos.

Episódios de antologias têm tudo a ver com os contos da literatura: possuem o menor número de ambientes possível, poucos personagens, apenas um núcleo narrativo etc. São, de fato, uma ótima fonte para este tipo de formato. Sucinto, O Sacrifício escapa de uma armadilha muito comum aos episódios de antologia, a incapacidade de concisão, mas perde pontos por narrar uma história simplória demais, com soluções pouco convincentes e personagens caricatos. A maquiagem de Greg Nicotero e sua equipe proporciona os melhores momentos do episódio. Eisner, o diretor, é o responsável pela refilmagem de The Crazies (2010), de George Romero.

Às Voltas com o Passado
Um pouco mais interessante é o segundo episódio, com Eric Roberts no papel de um policial que detesta armas de fogo e orgulha-se de nunca tê-las usado em serviço, mas que trata os suspeitos de crimes com abominável violência. Quando acaba matando um deles durante um interrogatório, é afastado do serviço e começa a trabalhar como detetive particular, encarregado por esposas traídas de flagrar seus maridos infiéis. Um dia, é contratado por uma mulher desconfiada de que o marido leva amantes para casa durante sua ausência. Ela pede que o detetive observe o seu marido a partir de uma casa abandonada do outro lado da rua, mas, lá, ele passa a ter uma série de visões estranhas relacionadas ao seu obscuro passado.

Às Voltas com o Passado inicia muito bem, mas decai justamente em seu clímax, passando de narrativa gótica a uma história quase convencional de vingança, não fosse a marcante presença do sobrenatural. Uma cena memorável, assustadora, entremeia estes níveis. O personagem de Eric Roberts, decididamente maldito fragilizado por uma culpa infantil, é, certamente, um dos melhores da antologia.

11 comentários:

  1. ...e no terceiro dia ele ressuscitou!

    O Gato Preto está de volta! E promete muito essa série de postagens sobre FEAR ITSELF. Mais uma vez vou comentar coisas que não vi, então é tudo na base do achismo mesmo!

    Assisti a primeira temporada de MASTERS OF HORROR e os episódios ficam entre o bom, o ótimo e o medíocre, mas poderíamos destacar mesmo apenas uns três como excelentes. No geral, são divertidos, mas nada demais. Essa série parece um pouco inferior, mas terei que ver para dar uma opinião com sentido.

    O primeiro episódio me lembrou um filme brasileiro chamado O RESGATE, que também é conhecido como NEM AS BRUXAS ESCAPAM, ou algo assim. Nunca consegui ver esse filme, mas a premissa é a mesma: alguns criminosos se refugiam numa casa isolada onde vivem duas mulheres (mãe e filha) e... Não sei mais nada, mas parece que as mulheres não são bem o que parecem ser, ou algo assim! Meu desejo de ver esse filme é saber se ele se aventura pelo universo do horror, como no caso desse episódio de FEAR ITSELF.

    Enfim, adorei a volta do blog e o texto é delicioso de ler. Ficarei atento às próximas postagens e vou tentar ver a série para poder comentar alguma coisa que preste!

    ResponderExcluir
  2. Pois é, esse é um ponto chato dos blogs: nem todo mundo vê as mesmas coisas, hehe.

    Acho que essa discrepância entre os episódios é algo bem comum às antologias mesmo, afinal, mudam os roteiristas, mudam os diretores... Em FEAR ITSELF já tive o desprazer de ver uma das piores coisas já feitas no audiovisual, mas, em compensação, o episódio do John Landis é ótimo, super divertido.

    Obrigada pelo comentário!

    ResponderExcluir
  3. Ah, mas ninguém NÃO VÊ tantas coisas quanto eu, hehehe! Incrível como a maioria dos blogs com o mesmo tema do que o meu tem comentários de filmes recentes, e eu não vi quase nada!

    ResponderExcluir
  4. É que você tem se focado em filmes que quase ninguém viu (há algum tempo eram os mudos, atualmente os de ficção científica), mas logo, logo você tira esse atraso! :)

    ResponderExcluir
  5. Parece ser bom! Mas vendo pela ficha técnica não parece ser do mesmo nível de Masters Of Horror.

    ResponderExcluir
  6. Não sabia que FEAR ITSELF tinha chegado em dvd no Brasil. Já escrevi sobre praticamente todos os episódios no blog. Acho que está faltando eu ver só um. Infelizmente a grande maioria é fraca, mas tem pelo menos dois que são ótimos. EATER, do Stuart Gordon (esse cara sempre arrasa), e SKIN AND BONES, do Larry Fessenden, que é realmente assustador.

    ResponderExcluir
  7. Masters of Horror ainda permanece no topo dessas séries novas para mim. Pena que não tenha durado muito. E... Beatriz, estou reeditando a série aqui, pois achei uma grande droga as edições de um só episódio que saíram aqui. Caso tenha interesse, posso desponibilizar epísódios para vc ou mesmo a série toda. Quanto a FEAR ITSELF, assino embaixo do comentário de Ailton Monteiro.

    ResponderExcluir
  8. Caro Cayman, agradeço imensamente a oferta, mas já pedi que um amigo copiasse para mim. Muito obrigada, de qualquer forma!

    ResponderExcluir
  9. Bia, não tenho como comentar este último post porque não assisti a esses filmes - mas fiquei curiosa!!

    Então, na verdade entrei para dizer que estou muito curiosa para ler suas impressões sobre "Alice no país das maravilhas". O filme também vai estrear por aí na semana que vem?

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Hei!

    Conheci o blog hoje nessas buscas pela internet, e gostei!

    Você conseguiu terminar de ver Fear Itself?! Estou vendo Mestres do Horror, e é realmente fraca, apesar dos grandes nomes nos créditos. É impressionante como essas séries não dão certo, limitam-se a episódios com sangue-groselha (Supernatural, que eu curto, muito pela história que serve como espinha dorsal) ou com história capengas e previsíveis (em Mestres do Horror, as histórias de Tobe Hooper e Dario Argento realmente são um 'horror'). Fear Itself (que eu ainda não vi) é minha esperança.

    O que me diz?

    Abraços!

    Gil Marcel.

    ResponderExcluir